Uma boa razão para existir

Senti uma vontade de fazer um vídeo mas, depois passou...mentira! É que meu cabelo tá horrível e não queria aparecer com essa juba...kkkk então, resolvi escrever.

Por que queria mudar?
A um tempo atrás, acho que havia comentado que eu e meu marido havíamos tomado a decisão de morar fora do Brasil, por "n" razões, né? Pois é, foi o que fizemos...
Desapegamos de tudo, literalmente, e decidimos encarar o mundo de frente. 
Escolhemos Lisboa para ser nosso novo lar, porque ficava mais fácil, não só em função do idioma, como da facilidade de acesso a toda a Europa. 

Mudar para nós,sempre foi uma coisa fácil e simples, porque sempre estivemos abertos a novos desafios...lembram que comentei nesse post aqui? Graças a Deus, escolhi para ser meu parceiro uma pessoa  "interessante" e tão desprendida (pode ler louco) quanto eu...kkk

Quero uma boa razão para existir!

Desapeguei.
Joguei tudo pro alto e apostei em um sonho.
Ah, gente! Vamos combinar: o que a gente leva dessa vida a não ser as experiências que viveu? Não conheço ninguém que levou casa, carro, dinheiro...bens materiais. Óbvio que adoro dinheiro, afinal, como conseguiria fazer tudo o que faço sem ele? Impossível. 

Ok. Não sou nenhuma "porra loka", não! Não virei hippie e nem rasgo dinheiro, apenas não deixo que ele domine, sou eu quem domina e controla o "fluxo da riqueza" na minha vida - aprendi isso com o tempo, depois de quebrar muito a cabeça e o bolso!


No final de dezembro, após nos instalarmos em Lisboa, voltamos ao Brasil para passarmos o ano novo e resolver algumas coisas. A ideia era ficarmos alguns dias e voltar. Só que saiu tudo diferente...meu marido teve que voltar a Lisboa e eu fiquei aqui, em Porto alegre para resolver um monte de coisas (documentos, burocracias, etc). 

Moral da história, a minha estada que seria de 15 dias, no máximo, virou 30,60,90... Nem preciso dizer que fiquei doida, né? As coisas que deveriam ser resolvidas em poucos dias,  (por incompetência de alguns órgão públicos) acabaram se estendendo por meses. 

O pior era que estava tão acostumada com o meu marido resolvendo tudo pra mim e, agora, era eu que tinha que resolver tudo e, ainda, cuidar da nossa filha, sem a menor perspectiva do futuro. 
Sim, estava cheia de "expectativas" e ilusões sobre o futuro...fiz um monte de planos mas esqueci de viver o "agora". 
Viver na expectativa do futuro não é real, não é legal, é uma ilusão, só nos traz ansiedade e frustração, porque nem sempre as coisas saem como o planejado, ai vem o sofrimento. 
Tive que ficar morando em um flat, porque nosso apartamento, aqui em Porto Alegre, estava desmanchado: o que não tinha sido doado estava num depósito, o resto que sobrou  já estava em Lisboa, incluindo o marido e o meu notebook...(rs) A essas alturas já nem sabia se voltaria ou se ficaria...  Minha cabeça estava uma confusão só!


Chateada, decepcionada, ansiosa, cheia de problemas para resolver e o pior: sozinha! Sozinha? Como assim?
Na verdade, achava que estava sozinha, mas não estava, nunca estive! 

Achei o meu motivo de existir 
Precisava entender o que estava acontecendo.
Afinal, o que deu errado?
Foi nesse período de "solidão" que me redescobri. 
Lembrei de quem eu era realmente, mergulhei em mim e busquei compreender tudo o que estava acontecendo. Posso dizer que foi a experiência mais maravilhosa da minha vida! Agradeço as coisas terem dado "erradas" porque só assim recuperei o meu equilíbrio emocional. 
Voltei a confiar em mim, a ter fé e isso não tem preço! Descobri que nunca estive sozinha! Nunca! Nem um só minutinho...
Deus está em mim! 

compreendi que o verdadeiro sentimento de dEUs, não aquele que as religiões ensinam, mas o que  descobri que havia em mim (depois explico melhor).

A experiência foi tão maravilhosa que, de alguma forma, queria agradecer aos mestres e compartilhar o que aprendi. Por isso, voltei para o blog. Não importa se poucas pessoas leiam, importa é que escrevi. Para mim já basta.
Até o final do mês, conseguimos resolver as últimas pendências e, se tudo sair como o planejado, em maio (já que ficamos, vou passar o Dia das mães aqui) estamos voltando a Lisboa, para finalmente, habitarmos o nosso novo "apê".

O "Making up Dreams" vai continuar falando em sonhos, porque sonhar é preciso!

O blog vai continuar a  falar sobre emagrecimento, atividade física  mas, não só sobre isso...porque acreditem: emagrecer é mais mental do que se pensa. Encontrar o equilíbrio é encontrar o significado da palavra "existir".

"Tudo é uma questão de manter
a espinha ereta,
a mente quita
e o coração tranquilo"

Beijos e se cuidem!

3 comentários :

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Adsense

Translate