(#362 Decida!) Envelhecer é inevitável. Ficar feia, flácida e gorda é opcional

Uma volta na quadra. Mais outra volta na quadra. Retorno ao o ponto de partida. Troco de rua, faço a volta pelo lado contrário. Paro na frente.
Desisto?

Ai, meu Deus o que eu faço?
E se eu me arrepender?
E se não gostar?
Será que vai valer a pena?
E se pegar essa grana e fizer outras coisas mais úteis?
Ah, e se meu marido reclamar?
E se eu não conseguir vir e acabar colocando dinheiro fora?
Já desisti das outras vezes, dessa vez vai ser a mesma coisa...merda!
E agora, decido como??



Precisava tomar uma decisão, mas a minha mente, sempre ela, insistia em me atrapalhar, enquanto o meu coração dizia para seguir enfrente: Vai sem medo, se der errado, qual problema?

Mas, ela não! Ela, a minha mente, estava lá, cheia de argumentos convincentes, pronta para me sabotar, me atormentando, me dizendo que seria complicado e era melhor desistir antes que me frustrasse, porque das outras vezes foi assim e dessa vez não seria diferente.

Sabe o que a nossa mente faz? Ela mente. É exatamente isso, ela nos confunde, nos sabota e, as vezes, ela nos vence. Ela nos faz procrastinar, desistir dos nossos sonhos sem nem ao menos tentar, porque ela nos faz crer que não somos capazes.

Parece loucura, pra você?

Sério? Mas, quantas vezes na vida você já desistiu de alguma coisa que queria muito só porque a sua cabeça te encheu de pensamentos ruins?

Sabe aquele momento que você está feliz e de repente você começa a pensar no que sua mãe ia pensar, o que seu pai ia achar, se seu marido ia aprovar, e as crianças? Quem vai tomar conta das crianças? Meus amigos vão achar que sou louca...  É sempre os outros, os outros e os outros.

Quem tem razão: a mente ou o coração?

Hoje, por alguns instantes, deixei minha mente me dominar e quase desisto, novamente,de cuidar de mim, porque fiquei pensando nas vezes que fracassei e não consegui emagrecer e em todas as vezes que não consegui dar continuidade aos exercícios, cancelando treinos, perdendo dinheiro.
odas as vezes que me matriculava na academia precisava parar, ou porque alguém morria, ou adoecia, ou a grana ficava curta, e blábláblá...
Sem perceber, na minha cabeça, frequentar uma academia não estava relacionado a saúde, a prazer e bem estar e, sim, a coisas negativas: Se voltar para academia algo ruim poderia acontecer.

E enquanto dava mil voltas na quadra, só vinham na minha mente as lembranças dos meus fracassos como "marombeira".
Mas aí, chegou um momento que disse para a minha mente: Chega! Tu não vai me dominar. Quem decide essa porra aqui sou eu. Eu que sei o que é melhor para o meu corpo, pra minha vida e não tu, sua mente mentirosa, chata e metida! Agora, fecha essa matraca que vou me matricular nessa academia. E nem adianta colocar defeito, dizer que o lugar é feio, que o preço é caro ou que vou acabar desistindo, porque, sim,  meu coração quer, meu corpo precisa e tu mente, sabota.

Decida ser feliz! Sem expectativas, sem frustrações


Comigo, não! Agora, é diferente,  MUDEI.
Agora penso primeiro em mim, segundo em mim e terceiro em mim.
Se eu estiver feliz as pessoas a minha volta também estarão. Simples, bem simples!

Quando terminou o treino, a sensação de conquista foi ma-ra-vi-lho-sa. Consegui me superar, venci.
Não tive a menor dificuldade com os exercícios que o instrutor propôs, foi tudo muito fácil e divertido. Cheguei em casa alegre e preparei o almoço mais gostoso do mundo. ainda nem contei para o meu marido a minha proeza, deixei para contar aqui, em primeira mão, até porquê já tinha a minha mente me sabotando, não precisava de mais um!
Dessa vez, não vou criar  expectativas com resultados, não quero ficar musculosa, não vou virar marombeira e, também, não tenho a pretensão de transformar meu corpo: ele é o que é, quero apenas que ele esteja saudável! Vou fazer atividades sempre que possível e não vou me sentir culpada se, por alguma razão, não puder ir. Vou me permitir curtir e aproveitar. Sem neuras, porque envelhecer é inevitável, ficar feia, flácida e gorda é opcional.

Enfim, quem diria que hoje, tomaria uma NOVA ATITUDE: a de decidir por me cuidar!
E amanhã, é um novo dia...mais feliz :)


Lição #3: Tome decisões, enfrente seus medos, faça o que tem vontade por você e não pelos outros



4 comentários :

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Adsense

Translate